Essa história tem muitas histórias por trás dela.

O meu pai a contava sempre para mim, meu irmão e quem mais estivesse por perto. Ele a repetia e repetia e nós nunca nos cansávamos de ouvi-la.

Só fui descobrir que era um conto dos irmãos Grimm depois de crescida, estudando sobre o tema. É o que eu conto no vídeo, logo depois do texto da história.

 

O avô e o netinho (Irmãos Grimm)

 

Era uma vez, um velhinho, tão velho que os olhos já lhe estavam turvos, os ouvidos surdos e os joelhos trêmulos.

Quando se sentava à mesa para comer, tinha muita dificuldade para segurar a colher e derramava a sopa na toalha, deixando-a, também, escorrer pela boca.

O filho do velho e a nora sentiam repugnância ao ver aquela cena e decidiram que o velho comeria fora da cozinha e não se sentaria mais com eles. Davam-lhe a sopa numa tigela de barro e assim mesmo não era muita comida. O  velho olhava com grande tristeza para a mesa e seus olhos enchiam-se de lágrimas.

Certa vez, suas mãos fraquejaram e não conseguiram segurar a tigela de barro, que caiu no chão e quebrou-se.
A nora repreendeu-o duramente; ele suspirou, mas não disse nada. E então ela comprou uma tigela bem simples e barata e ele passou a tomar a sopa nela.

Um dia, quando estavam sentados e o netinho, de quatro anos de idade, brincava no chão juntando tabuinhas de madeira, o pai perguntou ao menino:
– “O que você está fazendo, meu filho?”

E o menino respondeu:

– “Estou fazendo uma tigelinha, para o papai e a mamãe comerem quando eu for grande”.

Então os pais se olharam silenciosamente e, depois, romperam em pranto. Levantaram-se e foram buscar o velho para que se sentasse à mesa com eles. E daquele momento em diante, o avô passou a comer sempre com sua família e quando ele derrubava um pouco de comida, ninguém dizia uma só palavra.

 

 

 

9 thoughts on “O avô e o netinho [Irmãos Grimm]

  1. Eu gostei. E como síntese deixa a atender que todos nós envelhecemos, e que todos nós precisaremos de ajuda quando velho estivermos, e que é o futuro de todos a velhice, não temos como fugir disto. E é importante deste cedo conscientizarmos os pequeninos na criação e o costume da união de todos da família para minimizar a dor e o sofrimento do seu ente querido; aqueles a quem nós criou…e na metamorfose da vida, todos não terão como ser diferente. “Palavra de ordem Respeito e humanização”.

    1. Olá, José Euclides!
      Fico feliz que tenha gostado da história e que ela tenha despertado essas reflexões sobre o envelhecer e a família. Realmente esta é uma história com muitas mensagens, muitas possibilidades. Abraços

  2. Gosto dessa triste historia, pois por muito tempo os adultos acreditavam que a criança só lhes devia obediência. Nem se apercebiam serem exemplo a serem imitados. O netinho mostrou ao confeccionar os pratinhos, o possível futuro dos pais. Essa triste lição de desamor que ele presenciava, para com o seu avô.

    1. Sinto que essa história seja necessária, cada vez mais necessária aos tempos atuais. Vamos contá-la aos mais novos. Abraços

  3. triste historia, pois por muito tempo os adultos acreditavam que a criança só lhes devia obediência. Nem se apercebiam serem exemplo a serem imitados. O netinho mostrou ao confeccionar os pratinhos, o possível futuro dos pais. Essa triste lição de desamor que ele presenciava, para com o seu avô. Mesmo assim, aprecio essa historia pois ela desperta a reflexão.

  4. Eu amei essa história Ana, gomo tostdas que vc conta é maravilhosa, eu fico igual uma criança ouvindo suas histórias simplesmente maravilhosa

    1. Olá, Ana Dalva! Eu sou suspeita: gosto dessa história desde que sou pequenininha… Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *