Hoje é dia de abordar um tema que está cada vez mais presente nas mídias sociais e vem preocupando famílias, escolas, pediatras e ONG’s ligadas à infância: o contato cada vez menor das crianças com a natureza.

O norte-americano Richard Louv, autor do livro A Última Criança na Natureza, veio ao Brasil e divulgou os impactos negativos causados pelo o que ele chama de “Transtorno de Déficit de Natureza”.

O termo se espalhou nos meios que debatem a infância atual. Mas, na verdade, ele só colocou sob os holofotes as transformações que nós observamos na vida das crianças de hoje:

-mais tempo em lugares fechados, menos tempo em lugares abertos e naturais

file8021244372218                        baby-1531068_1920

 

-maior contato com eletrônicos e plásticos e menos contato com elementos naturais.

 

kids-playing-1253096_1920                       _dsc7302

 

Até a nossa comida está menos natural e mais industrializada!

 

pal14

 

Por outro lado, nós também sabemos: as crianças gostam da natureza – de ver uma florzinha, de conhecer os animais, de correr no gramado de um parque…

Mas a nossa rotina, as nossas prioridades e a nossa organização social fizeram com que nós (e as crianças, por tabela) nos afastássemos do que é natural, em busca de uma praticidade, pela falta de tempo. E as crianças sofrem as consequências.

 

– Quantos de nós, antes de colocar o filho para dormir, olha com ele para o céu e contempla a lua e as estrelas?

– Quantos de nós passeia em uma praça perto de casa e acompanha com o filho o ciclo das árvores, recolhendo sementes e folhas, encantando-se com flores e o canto dos passarinhos?

 

Em primeiro lugar, nós educadores, temos que nos reaproximar da natureza. Quando nós voltarmos a olhar para as diferentes manifestações naturais, sentiremos devoção pelo pequeno (uma florzinha, por exemplo) e reverência perante o grande (uma cadeia de montanhas).

Quando verdadeiramente nos encontrarmos com a natureza, as crianças poderão se admirar com as nossas atitudes, o nosso cuidado e o nosso encantamento. Ao observar algo e imediatamente falar para a criança: “olha as florzinhas amarelas nascendo naquela árvore, é um ipê amarelo!”, eu me preencho com devoção e a criança aprenderá a fazer o mesmo, a desenvolver carinho, respeito e intimidade com a Mãe Natureza.

 

A gente ensina quando dá o exemplo e não quando dá instruções. Não adianta dizer: “temos que respeitar a natureza” se a gente mesmo se desconectou dos ritmos naturais e perdeu a intimidade. O respeito não pode ser intelectualizado, ele tem que ser sentido de verdade!

E, naquele momento, em que a gente sentir que será difícil mudar os hábitos, que exigirá muito esforço e tempo, é só se lembrar de que a natureza está dentro e fora da gente. Então, para nos reconectarmos, basta uma certa força de vontade no início, para criarmos novos hábitos e, logo a conexão se tornará tão natural que não exigirá esforço. Será uma necessidade e um prazer vivenciados profundamente.

 

Ana Flávia Basso, do Educar com Histórias.

 

 

 

11 thoughts on “As crianças gostam da natureza. Por que estão tão distantes dela?

    1. Olá, Iracema! Fico feliz por saber que gostou e pelo retorno positivo. Abraços

  1. Bom dia Ana,
    Tive ótimas experiências na natureza durante minha infância e depois que minha filha nasceu sempre busquei me aproximar cada vez mais dela. Seus textos são cheios de vida e me trazem um ânimo novo com novas idéias para usufruir daquilo que temos em nossa volta todos os dias!
    Estarei acompanhando sempre suas postagens! Estarei sempre colocando algumas imagens no meu instagram @renatamesq22. Se quiser me acompanhar será um prazer Um grande beijo meu e da minha filha Isabela!

    1. Olá, Renata! Que bom que se inspirou com os textos! Bom saber que estará por aqui. Confesso que não uso Instagram (rsrsrsrs), mas minha filha usa e aprenderei com ela. Acho que será uma boa oportunidade de entrar de vez nesse recurso! Bjos pra você e Isabela

  2. Boa Noite Ana, sou sua fã menina. Sou pedagoga e fui professora e orientadora pedagógica em creches e pre escolas da rede pública. Sou uma apaixonada por histórias. Trabalhei como voluntária com crianças de abrigo e as histórias sempre foram meu tesouro. Hoje estou me engajando em um grupo de contadores de histórias Griots, aqui de Campinas, que fazem um lindo trabalho em asilos e hospitais. Preciso muito da sua ajuda com sugestões de histórias.

    1. Olá, Rosane! Que trajetória bonita a sua, quantas experiências! Adorei saber desse grupo do qual você faz parte atualmente. Quero conhecer mais o trabalho de vocês e, quem sabe, divulgar na página, para que mais pessoas se entusiasmem e participem.
      Terei o maior prazer em ajudá-la com o que você precisar. Escreva para educarcomhistorias@anaflaviabasso.com.br e conversaremos melhor por lá. Um forte abraço, Ana

  3. Boa tarde! Nossa o texto nos traz esclarecimentos bem amplo e nos faz pensar bastante a respeito do tema.
    Hoje em dia é de se preocupar com o futuro das crianças, que terá (acho) problemas na juventude, eu analiso três ponto que é preocupante, 1 CONTATO DESDE A INFÂNCIA COM A TECNOLOGIA, TAIS COMO CELULAR, VIDEOGAME, .. 2 OS PAIS (NÃO TODOS) ESTÃO PERDENDO O CONTROLE DE EDUCAR OS FILHOS ACEITANDO E DEIXANDO DO JEITO DELES.. 3 A FALTA DE INCENTIVO DESDE A INFÂNCIA A LEITURA, OS NÚMEROS DE LEITORES HOJE NO NOSSO PAÍS É POUCO, SENDO QUE A LEITURA NOS FAZ SER PESSOAS DIFERENTES, E ESCOLHER O NOSSO FUTURO MELHOR ENTRE MUITOS RESULTADOS POSITIVOS. Assim penso.
    abraços João Carlos .

    1. Olá, João! Todo os aspectos que você destacou são super pertinentes. Espero, com o tempo, conseguir respondê-los e contribuir com suas reflexões.
      Abraços

  4. LIndo o seu texto.
    Sou mae de uma garotinha de 6 anos, e desde bebê ela convive com a natureza, com bichos. Atualmente estou estudando Pedagogia e faço tardes recreativas com crianças na minha casa. Procurando levar as atividades ludicas sempre no jardim, (artes, culinaria) e as crianças amam!! Adoro as suas dicas de contaçao de historias. Um abraço Adriana

    1. Olá, Adriana! Que linda a sua iniciativa com as tardes recreativas!
      Fico feliz também por saber que tem gostado das histórias que venho compartilhando. Ontem postei um vídeo em que ensino a fazer um brinquedo com a folha da árvore “pata de vaca”. Acho que seria interessante fazer com as suas crianças! Vou deixar o link: https://www.youtube.com/watch?v=8sQPWcj_l08
      Um forte abraço, Ana Flávia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *