Você já ouviu alguém contando histórias de maneira encantadora e pensou que nunca conseguiria fazer algo parecido?

Muita gente, mas muita gente mesmo, me diz que se sente incapaz de contar histórias porque nunca conseguiria fazer igual ao “fulano de tal” que contou histórias um dia em um espetáculo ou em uma livraria.

Será que existem habilidades que são imprescindíveis para contar histórias?

CONTANDO HISTÓRIAS DE FORMA NATURAL

É muito comum as pessoas acreditarem que, para contar histórias, é preciso:

  • Ter curso de teatro
  • Tocar um instrumento ou cantar bem
  • Já ter desenvoltura com a voz e os gestos
  • Conhecer técnicas de memorização
  • Dominar um palco
  • Saber lidar com objetos cênicos
  • Uma lista enorme de requisitos….

E sabe por que chegamos a pensar que essas habilidades são fundamentais para contar histórias?

Porque nós temos cada vez menos contato com pessoas que contam histórias de forma natural. A nossa referência passou a ser a do artista que está em um palco ou em um evento, contando histórias profissionalmente.

E é muito bom que existam artistas que se dediquem a essa arte, que mantenham a chama do contar histórias acesa.

Essas habilidades artísticas de fato ajudam, mas não são o essencial.

O importante é que você descubra a SUA maneira de contar histórias, que é única.

Não existe um jeito certo de contar histórias, o jeito ideal. Os profissionais dessa arte podem ser uma inspiração e não um modelo engessado.

Talvez eles agradem tanto porque já descobriram o seu estilo, a sua autenticidade.

 

37

 

DESCOBRINDO O SEU JEITO DE CONTAR HISTÓRIAS

No caminho que você está trilhando com o contar histórias, primeiro olhe para as qualidades que você já tem, os seus talentos, aquilo que é fácil para você fazer. Então, comece a praticar a narração e vá explorando esses pontos favoráveis.

Por exemplo, se você é bom em contar piadas ou tem talento para o humor, use esse recurso.

Se você tem facilidade com textos mais dramáticos, mais profundos, use-os.

Se você gosta de rimar e fazer versos, use isso como uma ferramenta.

Com o passar do tempo, você vai praticando e vai identificar aqueles pontos que são frágeis, que precisam de aperfeiçoamento. Aí, é a hora de buscar técnicas e ir atrás de desafios e de novos recursos.

Então, primeiro, comece com as suas qualidades, aquilo que você já tem dentro de si e depois, vá atrás de aperfeiçoamento.

As pessoas a sua volta precisam do sSEU jeito de contar histórias e pode contar comigo para dar os seus passos, no seu tempo e presentear os seus ouvintes com a sua autenticidade.

Vamos contar mais histórias?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *