A 3ª história da Semana Especial – Histórias de Primavera (de 17 a 22/09) eu conheci em um livro que ganhei de presente de uma amiga, que o trouxe de Cuba: Había uma vez…, de Hermínio Almendros, editado pelo Instituto Cubano del Libro, Editorial Gente Nueva, 2012.

É uma narrativa singela, para crianças pequenas, que fala sobre uma sementinha que se transforma em margarida, com a ajuda da chuva e do sol.

 

 

Não tem quem não se encante diante de uma margarida! Esta flor sempre foi associada à infância, pureza, inocência, paz, bondade.

E é na infância que aprendemos a brincar com uma margarida entre as mãos, dizendo “bem-me-quer, mal-me-quer”.

 

 

 

Depois de contar essa história, você pode colocar um vaso bem bonito na sua casa ou sala de aula, cheio de margaridas brancas!

Ah, e essa história permite muitos recursos que podem torná-la mais interessante:

  • você pode contá-la com gestos
  • você pode escolher dois instrumentos para sonorização: um para a chuva, outro para o sol
  • ao final, você pode conduzir as crianças para uma outra atividade:
  1. dança de roda ou ciranda
  2. plantio/ jardinagem
  3. canto, substituindo a letra do final da história original por uma cantiga que conhecemos como, por exemplo:

 

Que é da margarida

Que é da margarida? O quê? O quê? O quê? / Que é da margarida? O que se vai fazer?

Margarida está no castelo! O quê? O quê? O quê? / Margarida está no castelo! O que se vai fazer?

O castelo é muito alto! O quê? O quê? O quê? / O castelo é muito alto! O que se vai fazer?

Tirando uma pedra! O quê? O quê? O quê? / Tirando uma pedra! O que se vai fazer?

Uma pedra só não chega! O quê? O quê? O quê? / Uma pedra só não chega! O que se vai fazer?

Tirando duas pedras! O quê? O quê? O quê?/ Tirando duas pedras! O que se vai fazer?

 

 

Onde está a Margarida?

Onde está a Margarida? Olê, olê, olá!

Onde está a Margarida? Olê, seus cavalheiros!

 

Ela está em seu castelo, Olê, olê, olá!

Ela está em seu castelo, Olê, seus cavalheiros!

 

Eu queria vê-la, Olê, olê, olá!

Eu queria vê-la, Olê, seus cavalheiros!

 

Mas o muro é muito alto, Olê, olê, olá!

Mas o muro é muito alto, Olê, seus cavalheiros!

 

Tirando uma pedra, Olê, olê, olá!

Tirando uma pedra, Olê, seus cavalheiros!

 

Uma pedra não faz falta, Olê, olê, olá!

Uma pedra não faz falta, Olê, seus cavalheiros!

 

Apareceu a Margarida, Olê, olê, olá!

Apareceu a Margarida, Olê, seus cavalheiros!

 

As cantigas acima foram pesquisadas no livro Cancioneiro folclórico infantil – um pouco mais do que já foi dito, de Mara Fontoura e Lydio Roberto Silva, Curitiba: Gramofone, 2001.

 

Desejo que essa história te inspire a criar outras atividades! Até amanhã!

Um forte abraço,
Ana Flávia Basso, do Educar com Histórias

 

“A margarida branca”

 

Era uma vez uma margarida branca que vivia debaixo da terra em uma casinha quente, tranquila e escura.

Um dia ouviu umas batidas suaves na janela:

– Chas, chas, chas.

– Quem chama?

– É a chuva.

– O que a chuva quer?

– Entrar na casa.

– Não entre! Não entre! – disse a margarida branca, que tinha muito medo do frio invernal.

Passaram-se muitos dias e ela ouviu outros barulhos na porta:

– Tun, tun, tun.

– Quem chama?

– É o sol.

– O que o sol quer?

– Entrar na casa.

– Não entre! Não entre! – disse a margarida branca e adormeceu tranquila.

Depois de muitos dias, voltaram a bater à porta e à janela.

– Tun, tun, tun.

– Chas, chas, chas.

– Quem chama?

– Somos o sol e a chuva, a chuva e o sol.

– E o que querem o sol e a chuva, a chuva e o sol?

– Queremos entrar, queremos entrar.

– Pois entrem os dois – disse a margarida branca.

E abriu uma fendazinha por onde escorreram o sol e a chuva para dentro da casa.

Então, a chuva pegou sua mão direita e o sol sua mão esquerda. E empurraram, empurraram a margarida branca até a superfície e disseram:

– Margarida, margarida, mostre sua cabecinha!

A margarida branca passou sua cabecinha através da terra e encontrou-se em um bonito jardim, com borboletas, pássaros e crianças que brincavam de roda cantando:

 

Já sai a margarida,

Vestida de chita,

Com chapéu amarelo

E verde avental.

 

Caracol, caracol,

Mostre as antenas ao sol.

 

Com a face delicada

Margarida saiu

A correr pelos prados

Exibindo/ portando seu vestido.

 

Caracol, caracol,

Para cada antena,

Trago uma flor.

 

 

E a margarida se abriu: toda branca com seu miolo amarelo. E viveu muito feliz.

 

Veja a 2a história da Semana Especial – Histórias de Primavera, um conto da África do Sul, clicando AQUI!

10 thoughts on “Semana Especial de Primavera – 3a História

  1. Adorei a história! Vou trabalhar com as crianças , na próxima semana, comemorando assim a chegada da primavera.

    1. Eba! Que notícia boa! Adoro saber que as histórias chegarão até as crianças! Bjos

  2. Muita gratidão por tão bela história. Vou passar a semana com esta bela margarida, cultivando-a para que ela apareça na próxima semana em uma turminha de educação infantil.

    1. Olá, Enia! Espero que a bela margarida tenha aparecido entre as crianças da educação infantil! Abs

    1. Olá, Regina! E eu agradeço a você e a cada pessoa que acompanha, lê e conta para as crianças! Bjos

  3. Oh, Iracema! Carecemos de encantamento e doçura… ainda bem que temos as histórias para preencher o coração. Seguimos contando e contando mais histórias. Abs

  4. Olá, estou muito feliz de ter recebido tantas histórias lindas, e queria aproveitar e pedir se possível enviar histórias para crianças de 4 anos que fale de reino e princesas negras Trabalho na Educação Infantil. E se possível também uma história que fale de carrinho, abraço, bichinhos do fundo do mar para minha turma de grupo 2. Obrigada!

    1. Olá, Edimar! Fico feliz que tenha gostado das histórias. Tentarei atender seus pedidos, gradualmente. Abraços, Ana Flávia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *