Imagem: The Fairy Ladder, de Ida Rentoul Outhwaite (1888-1960), uma famosa ilustradora australiana de fadas

 

 

Esta é a 4a história da Semana Especial Fadas, uma semana só com histórias que tenham Fadas em seu enredo.

De 21 a 27 de abril, compartilharei uma história por dia com esse tema mais do que especial.

A  história de hoje chama-se “O que a Bisavó contou”, um conto norte-americano, curto e com estrutura bem simples, que as crianças pequenas adorarão ouvir. A tradução e versão são da Karin Stasch.

Amanhã tem mais!

 

O que a Bisavó contou

(Conto de fadas estadunidense)

 

Era uma vez uma pequena fadinha cor-de-rosa. Ela tinha um lindo lar, revestido com macias penas da fina penugem de pato; havia lá dentro um aroma delicioso de pinheiros, e havia espaço suficiente para guardar todos os tesouros que ela tinha. Um dia, quando a fadinha colhia amoras vermelhas, chegou a uma pequena aldeia, em que não havia uma única criança. As pessoas trabalhavam tristemente – ninguém fazia biscoitinhos, ninguém cantava canções alegres, e ninguém contava aquelas belas histórias que as crianças gostam tanto de ouvir. E a fadinha pensou: “Preciso levar crianças àquela aldeia, para alegrar o coração dos homens”.

Ela foi ter com a sábia coruja e pediu-lhe um conselho. “Você terá que trazer-me três coisas”, disse a coruja, “assim chegarão crianças na aldeia”. As três coisas que a coruja havia exigido eram: um ramo sempre-verde de pinheiro, uma peninha do gaio azul e uma pedra preciosa colorida. Quando a fadinha ouviu isso, ela ficou feliz e triste ao mesmo tempo. Feliz, pois ela possuía esses tesouros, triste, porque agora teria que desfazer-se deles. Mas soube prontamente o que iria fazer. Apressou-se a chegar em casa e levou os três tesouros para a coruja.

“Sábia coruja”, disse ela, “aqui trago o ramo, a pena e a pedra preciosa”.

Exatamente neste momento as primeiras crianças foram chegando à aldeia e iam chegando cada vez mais. Como ficaram felizes os pais com seus filhinhos! Não demorou muito para que as ruas da aldeia cheirassem a biscoitinhos sendo assados, ouvia-se as crianças cantando alegres canções e via-se mães sentadas contando belas histórias aos seus filhos. Os pais ficaram muito agradecidos e foram falar com a sábia coruja velha. “Como foi que aconteceu, que chegaram crianças na nossa aldeia?” A coruja lhes contou tudo, e também a quem eles deviam sua felicidade. Então os pais juntaram três tesouros tão preciosos quanto os outros e levaram à fadinha – um ramo sempre-verde cheiroso, uma pena azul e uma brilhante pedra preciosa.

 

 

Para conhecer as histórias anteriores da Semana Especial Fadas:

A Fada e a Lebre – Conto Jataka

Vovó Folhaverde – Conto alemão  

O Quadro de Pano – Conto Tibetano

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *