De 21 a 27 de abril, teremos a Semana Especial Fadas, uma semana só com histórias sobre fadas!

Hoje trago a 2a história, um conto alemão, que traduzi do espanhol “Vovó Folhaverde”. Dessa vez, a “fada” é uma velhinha que aparece para dois irmãos. É um conto curto, para crianças pequenas, que tem um “ensinamento” de fundo.

Espero que goste da história!

 

Se quiser receber as histórias por e-mail, para organizá-las facilmente, inscreva-se na minha Lista Pessoal AQUI. Sempre envio histórias e conteúdos exclusivos para quem faz parte da minha Lista.

 

Vovó Folhaverde

(Conto alemão)

 

Era uma vez uma mãe que tinha dois filhos. Um dia, em que não se sentia muito bem, desejou comer umas frutas do bosque. Assim, mandou seus filhos até lá para que lhe trouxessem algumas frutas. Eles então prepararam uma boa cesta.

Lá no bosque, apareceu uma velhinha vestida inteirinha de verde que disse-lhes: “tenho muita fome, mas já não consigo me abaixar. Vocês poderiam me dar algumas frutas?”

As crianças sentiram pena da velhinha, esvaziaram todo o cesto em seu avental e foram correndo colher mais frutas. Mas a Vovó Folhaverde, esse era o seu nome, pegou-os em suas mãos e disse-lhes: – “Não necessito tantas, umas poucas me bastam. Leve o resto para sua mãe. Vocês têm um coração tão bom que darei a cada um uma flor, uma amarela e uma azul. Cuidem bem delas, regando-as a cada manhã e não briguem”.

As crianças a agradeceram e voltaram rapidamente para casa. Quando sua mãe comeu as frutas, voltou a sentir-se bem. A Vovó Folhaverde a havia ajudado. Quando as crianças contaram à mãe todo o ocorrido, ela se sentiu muito grata à Vovó Folhaverde e estava feliz porque seus filhos foram muito amáveis. Quando as crianças olhavam para as flores que estavam frescas e bonitas, lembravam-se das palavras da Vovó Folhaverde: – “Não briguem”.

Porém, numa tarde, ficaram entediadas e aborreceram-se muito.

– “É meu brinquedo” – gritava um.

– “Não, eu o quero!” – dizia o outro.

Discutiram e discutiram e foram para a cama zangados. Na manhã seguinte quando foram regar as flores, elas estavam escuras e murchas. As crianças se entristeceram e choraram muito. Mas quando suas lágrimas caíram sobre as flores, uma voltou a ser amarela brilhante e a outra, azul claro. Então, as crianças se alegraram e nunca mais foram para a cama aborrecidas.

 

 

 

 

Ah, se quiser fazer algo para as crianças se lembrarem da Vovó Folhaverde, sugiro uma bolsinha de feltro, para guardar “tesouros”:

pedrinhas,

sementes,

galhos,

pétalas…

 

 

 

 

Para conhecer a história de ontem, clique AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *