A 5ª história da Semana Especial – Histórias de Primavera (de 17 a 22/09) fala sobre uma semente que estava adormecida ao longo do inverno e desperta na primavera, esquecendo-se de seu nome.

A sementinha receberá a ajuda de muitos seres para se lembrar e ter a coragem de crescer e ser quem ela é. Embora esta seja uma narrativa curta, ela não é indicada para crianças muito pequenas. Ela apresenta uma complexidade no raciocínio: a criança tem que associar cada ser (Gnomo, Fada da Água, Fada do Ar e Fada do Sol) com cada uma das quatro palavras que o título sugere e que aparecem ao longo da história.

Bem, vale colocar um vasinho de violeta roxa em casa ou na sala de aula, só para despertar o olhar das crianças e sua conexão com as flores!

A semana passou rápido! Até amanhã, com a última história!

Um forte abraço,
Ana Flávia Basso, do Educar com Histórias

 

“As quatro palavras”  (Dorothy Harrer)

 

Em um dia de primavera, um pequeno Gnomo acordou uma Sementinha, que estava dormindo profundamente no fundo da terra. “Acorde, acorde!”, gritou o Gnomo.

Ainda meio adormecida, a Sementinha respondeu: “Oh, oh – faz tanto tempo que adormeci que é difícil lembrar quem eu sou. Por favor, gentil Gnomo, diga-me o meu nome”.

“Eu me lembro do seu nome”, respondeu o Gnomo, “pois tenho que me lembrar dos nomes de todas as Sementinhas. No outono passado você me pediu que guardasse seu nome e agora você pode tê-lo de volta: é Violeta”.

Assim que ouviu seu nome, a pequena Violeta ficou muito contente – queria acordar e fazer alguma coisa. “Agora o que devo fazer?” ela perguntou. “Minha amiga, a Fada da Água, vai lhe dizer”, respondeu o Gnomo.Então ele chamou a Fada da Água, que falou com a pequena Violeta: “Você deve crescer!” Assim que Violeta ouviu a palavra “crescer”, ela empurrou sua cabecinha para cima e esticou os pezinhos para baixo, e empurrou e esticou, enquanto o Gnomo dançava cantando o nome dela. E a Fada da Água trouxe-lhe água fresquinha e lhe disse: “Cresça, cresça, cresça”.

Assim que a cabecinha de Violeta espiou acima do solo, uma Fada do Ar a cumprimentou, dizendo: “Rápido, rápido, rápido!” Então seus caules curtos e verdes ficaram altos, suas pequenas folhas se alargaram e sua pequena cabeça ficou maior e maior.

Por fim, um dia, uma Fada do Sol tocou a sua cabeça com sua varinha de luz, dizendo: “Eu lhe trago uma cor do arco-íris e ela é púrpura”. Violeta ficou tão feliz que levantou a cabeça bem alto e mostrou suas lindas pétalas roxas.

Então, o Gnomo, a Fada da Água, a Fada do Ar e a Fada do Sol cantaram para dar-lhe as boas-vindas com as palavras que cada um tinha lhe dado: “Violeta púrpura, cresça rápido.

 

 

Confira a 4a história da Semana Especial – Histórias de Primavera, um conto que conheci na infância, clicando AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *