Muita gente me diz que quer contar histórias para as suas crianças, mas não sabe por onde começar.

Você quer saber qual é o primeiro passo para começar a contar histórias de forma natural?

Algumas pessoas acham que, para contar bem uma história, a primeira coisa a fazer é cuidar da voz ou do cenário/ambientação.

Mas tem algo que a gente subestima e que influencia diretamente nesse “ar natural” que alguns contadores têm: é o envolvimento do contador com a história, a relação íntima que ele consegue criar com a história que ele vai contar.

E aí, você me pergunta: “como criar esse envolvimento que é tão importante?”

Para responder, eu darei um exemplo, contando um trecho de um conto de fadas tradicional chamado “O Rei Sapo”. Vamos lá?

“Era uma vez, no tempo em que os desejos ainda se cumpriam, um rei cujas filhas eram todas belas; mas a menor era tão linda, tão linda, que o próprio sol, que já vira tanta coisa, se alegrava quando iluminava o seu rosto. Perto do castelo do rei havia um grande bosque escuro e, no bosque, debaixo de uma grande tília, havia um poço”.

Muito bem. Quando a gente começa a ouvir a história, a nossa atenção tenta captar informações básicas: as personagens, onde a história acontece…

Conforme a gente se situa e dá uma relaxada na atenção, aí a gente começa a imaginar como é o rei, a beleza da princesa caçula, o bosque escuro…

Cada pessoa que ouvir esse trecho, vai imaginar os detalhes da história do seu jeito, que é único. Cada um se envolve com a história de uma forma e é quando a gente se envolve, que as imagens surgem.

É como se a gente entrasse dentro da história e a história entrasse dentro da gente.

O que acontece é que muitas pessoas têm dificuldade de criar esse envolvimento porque, na verdade, não estamos tão acostumados com a linguagem mais poética e simbólica das histórias.

Nosso traquejo maior é com textos mais práticos e objetivos, como os de jornal ou revista.

E já que criar essa conexão é tão importante, eu vou sugerir um exercício para você que já conta histórias ou quer começar a contá-las:

  • você vai escolher uma história, de preferência de um livro sem ilustrações e vai lê-la ao longo de 1 semana. O ideal é ler 1 vez por dia, mas leia o máximo que for possível dentro da sua rotina.

O objetivo é, a cada vez que você ler, se entregar à história, perceber como o envolvimento vai acontecendo, como as imagens vão surgindo. Se você achar difícil no começo, não desista. Complete a semana e tenha essa vivência.

Eu garanto que, quanto mais você exercitar essa habilidade, mais automática ela ficará.

E, a cada história que você contar, esse envolvimento acontecerá espontaneamente e a sua forma de contar histórias ganhará uma qualidade incrível e aquele “ar natural” que a gente tanto deseja!

Faça o exercício, não deixe para depois. E, se puder, me conte como foi.

Ah, se você tiver dificuldade de encontrar uma história para o exercício, eu selecionei duas histórias para te ajudar:

 

E lembre-se: para que você conte histórias de forma natural, o primeiro passo é criar o seu envolvimento, criar as suas imagens da história.

Vamos contar mais histórias?

 

2 thoughts on “O 1º passo para contar histórias

  1. Gostei muito do seu jeito de contar histórias é simples e prático.
    Me lembro quando estudei e uma professora contava histórias era tão bommmmm!

    1. Olá, Ildelene! Essas lembranças são muito especiais! Quando contamos histórias, semeamos a possibilidade da criança ter lembranças como essas. Então, vamos nos preparar para contarmos boas histórias, não é? Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *